Na comunidade Barriguda Brasília, no interior da Bahia, a 440 km de Salvador, a coleta de lixo passou a fazer parte da vida da população após uma mobilização organizada pelos próprios moradores. A prefeitura de Umburanas, município onde Barriguda Brasília está inserida, se responsabilizou por realizar o recolhimento do lixo.  Essa conquista teve apoio da ENGIE e Socioambiental por meio do Programa de Educação Ambiental do Complexo Eólico Umburanas e sua Linha de Transmissão Associada, empreendimento da Engie Energia.

Uma atividade executada no PBA foi mobilizar os moradores para o multidão de limpeza, que motivou principalmente as crianças

O Programa faz parte do Plano Básico Ambiental (PBA) do Complexo Eólico e teve seu início em fevereiro de 2018. Ao longo da sua execução, contou com a participação dos moradores de Barriguda Brasília e outras sete comunidades pertencentes às cidades de Umburanas e Ourolândia, todas inseridas na área de influência do empreendimento.  

Comunidade e Socioambiental juntos no multirão

Logo na primeira visita dos consultores da Socioambiental a Barriguda Brasília, chamou a atenção a quantidade de lixo no chão. Essa questão foi levada às reuniões com os moradores, que se animaram com a possibilidade de receber uma coleta de lixo. Assim, a própria comunidade se reuniu e escreveu um abaixo-assinado, entregue à prefeitura de Umburanas. Hoje, cada um se responsabiliza em recolher seu lixo e depositar em uma lixeira única, na entrada da comunidade, onde a coleta passa.  

“Nós não queremos mais sujeira na nossa comunidade. Não queremos  que mais ninguém fale que aqui todos somos sujos, que nossa comunidade é suja.” Durante uma das reuniões de encerramento do Programa, a moradora Socorro comentou orgulhosa da consciência despertada na comunidade, principalmente nas crianças. “Vamos espalhar sacolas pelas ruas pra jogarem o lixo ali, e não deixar no chão.” 

Caminhão da coleta seletiva recolhendo o lixo na comunidade

Como atividade norteadora para o Programa foi previsto a realização de um Diagnóstico Social Participativo que identificou líderes comunitários e agentes multiplicadores, levantou as fragilidades locais e as carências a serem trabalhadas. Tendo como partida esses resultados, foram definidos quatro eixos para desenvolver as atividades: sensibilização, provocação, problematização e formação. Com estes parâmetros, práticas foram desenvolvidas para três diferentes grupos: a população residente nas comunidades, os trabalhadores do empreendimento e professores e técnicos das secretarias de Meio Ambiente e Educação.

Nas comunidades foram realizadas atividades alinhadas com demandas da população, principalmente na questão relacionada aos resíduos sólidos, por meio da realização de mutirões de limpeza, implantação de composteiras e a mobilização popular pela coleta regular de lixo.

O Programa finalizou suas atividades em março de 2019 e contou com 37 ações que somaram 1.277 participantes.

Resumo sobre o empreendimento:

O Complexo Eólico Umburanas está sendo construído na Caatinga Baiana, nos municípios de Sento Sé e Umburanas.  No total, o empreendimento conta com 144 aerogeradores que somam 360 MW de capacidade instalada. Desde 4 de janeiro de 2019, tem autorização da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) para operação comercial de parte de seus aerogeradores.

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer entrar na discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *