O World Marine Mammal Science Conference é o encontro internacional que reúne os principais pesquisadores de mamíferos marinhos no mundo. Este ano ele foi realizado em Barcelona, Espanha e recebeu 1640 apresentações feitas por pesquisadores de 95 países. Durante a cerimônia de premiação, Larissa Dalpaz estava presente e demorou pra acreditar que era seu nome sendo anunciado na categoria de melhor apresentação estudantil oral.

Larissa Dalpaz se formou em Biologia na Universidade Federal de Santa Catarina, e durante a graduação estagiou na Socioambiental dentro do Projeto de Monitoramento de Cetáceos na Bacia de Santos (PMC-BS). Logo após formada, ingressou no Mestrado também na UFSC, para estudar a população de baleias-de-Bryde que vive na Bacia de Santos.

Durante a apresentação do seu trabalho, Larissa Dalpaz falou para aproximadamente 250 pesquisadores do mundo inteiro

“A Socioambiental faz parte da minha trajetória desde que fui estagiária em 2015. Ter participado do Projeto de Monitoramento de Cetáceos (Petrobras) me permitiu aprendizados incríveis em campo, na coleta de dados, e na pesquisa coletiva e comprometida. Os dados que eu uso no meu mestrado foram coletados durante campanhas embarcadas do PMC-BS ” comenta Larissa Daplaz.

O auditório estava lotado, aproximadamente 2000 pessoas estavam atentas aos anúncios que eram feitos. “Eu estava sentada, só acompanhando. Aí de repente veio o anúncio da premiação para Trabalhos Orais da América do Sul de estudante e apareceu meu nome no telão. Eu fiquei em choque. Fiquei na cadeira olhando meu nome. Se minha amiga não tivesse me mandando ir, eu teria ficado parada ali”

Larissa Dalpaz recebendo sua premiação

Investigando a baleia-de-bryde

O trabalho premiado estuda as baleias-de-Bryde, que estão entre as menos conhecidas do mundo. Essa população passa o ano inteiro na Bacia de Santos, com comportamentos diferentes de acordo com a estação do ano “No verão elas ficam concentradas próximas à costa. No inverno, a maioria delas vão para o sul e se afasta do litoral. Esses deslocamentos são muito importante para entendermos como evitar alguns impactos negativos sobre essa população, algo muito recorrente são atropelamentos por navios, por exemplo” explica Larissa Dalpaz.

A pesquisadora também destaca que um do principais feitos do projeto foi ter implantando um transmissor satelital em uma baleia-de-Bryde, podendo assim acompanhar os hábitos do animal por 28 dias.

“Não estava confiante que meu trabalho poderia ser premiado porque fiz uma apresentação muito fora dos padrões. Ao invés de adotar o estilo acadêmico, preferi contar uma história, contando sobre a vida desta baleia que pudemos acompanhar por 28 dias”

Além da Larissa Dalpaz, Ana Cypriano, Juliana Moron, Gabriela Oms e Clarêncio Baracho participaram da pesquisa e são integrantes da equipe da Socioambiental no PMC-BS

O World Marine Mammal Science Conference recebeu 1640 apresentações feitas por pesquisadores de 95 países.

Sobre o Projeto de Monitoramento de Cetáceos:

O PMC-BS é uma condicionante ambiental do IBAMA para a Petrobras explorar petróleo na Bacia de Santos. Ao longo do ano são realizados dois esforços para coletas de dados (cada um composto pros três campanhas, duas embarcadas e uma aérea) com objetivo de avaliar a saúde e a ecologia das baleias e golfinhos que habitam pela Bacia de Santos (área que vai de Florianópolis/SC a Cabo Frio/RJ). A Socioambiental executa o Projeto desde 2015.

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer entrar na discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *